• Magictour

Egito agora exige teste para a COVID-19 pago pelo próprio passageiro na chegada ao país

Autoridades do Egito anunciaram mudanças nas restrições de fronteiras que afetam passageiros provenientes do Brasil. Agora é necessário fazer um teste para a COVID-19 na chegada ao país. O teste – precificado em US$65 e pago pelo próprio passageiro – é exigido mesmo para pessoas vacinadas.




Requisitos de entrada

Todos os passageiros saindo do Brasil deverão apresentar um teste RT-PCR feito em um prazo de até 72 horas antes da saída do voo para o país africano. Anteriormente, aqueles viajantes já vacinados não precisavam fazer o teste antes de sair para o Egito.

Também será necessário fazer o teste ID-NOW na chegada ao país. O custo de EGP1.000 (ou USD65, algo como R$340), deve ser arcado pelo próprio passageiro e o resultado sai em 15 minutos. Caso seja positivo, o passageiro será submetido a um teste PCR. Caso contrário, será liberado.

Com essas novas mudanças, estar vacinado não te isentará de nenhum teste exigido pelas autoridades.


Exigências das autoridades egípcias

Vacinação

De acordo com as autoridades egípcias, para um certificado de vacinação ser considerado válido, são necessárias as seguintes características:

  • O certificado de vacinação deve ser emitido por um laboratório credenciado no país em que foi emitido;

  • O certificado de vacinação deve conter um QR code claro e legível;

  • Passageiros que foram vacinados no Cairo e cujo certificado foi emitido no Cairo não precisam apresentar um certificado com código digital;

  • O certificado de vacinação não deve apresentar alterações ou modificações (adições ou exclusões);

  • Devem ter transcorrido 15 dias desde a data da segunda dose da Pfizer / Moderna / AstraZeneca / Sinopharm / Sinovac / Sputnik;

  • Devem ter transcorrido 15 dias desde a data da primeira dose da Johnson and Johnson.

Teste PCR

O teste PCR deve ser realizado em até 72 horas antes da partida de seu voo direto final para o Egito. O certificado impresso do teste deve ser original e conter o carimbo do laboratório/hospital ou um QR code, claro e legível, com os dados relevantes do passageiro. O certificado deve também incluir as seguintes informações:

  • Nome do passageiro;

  • Número do passaporte;

  • Data e horário em que a amostra foi obtida;

  • Detalhes do tipo de amostra obtida para o swab.

A apresentação de um documento incompleto ou que não respeite as normas do governo egípcio, poderá levar à deportação do passageiro. Certifique-se de que tudo está correto antes de sair para o aeroporto.


Fonte: Passageiro de Primeira

BLOG

MAGICTOUR